A ADoP participou num Webinar da WADA intitulado “2021 COVID-19 and Clean Sport Update”

A ADoP esteve representada pela Responsável pelo Sistema de Localização, Dra. Sofia Neves e pelo responsável pelo Programa de Educação, Dr. Carlos Santos no Webinar realizado pela World Anti-doping Agency (WADA)

25 de fevereiro de 2021

A ADoP esteve representada pela Responsável pelo Sistema de Localização, Dra. Sofia Neves e pelo responsável pelo Programa de Educação, Dr. Carlos Santos, no Webinar realizado pela WADA, onde foram abordados vários tópicos relacionados com o impacto do Covid-19 na atividade desportiva em geral e no controlo antidopagem em particular.

Foram preletores neste Webinar, o Diretor da WADA para as Ciências e Parcerias Internacionais, Olivier Rabin,

O Diretor do Comité Paralímpico Internacional para as questões da antidopagem, James Sclater e a médica, membro do Comité Médico da WADA, Lenka Wech.

Moderou a sessão o Presidente da Comissão de Atletas da WADA, Ben Sandford, o qual começou por fazer um balanço do impacto da pandemia na atividade desportiva realçando as questões relacionadas com a defesa da saúde de todos, o adiamento das principais competições internacionais, a redução dos controlos de antidopagem e o encerramento da quase totalidade da atividade desportiva.

Olivier Rabin referiu não haver qualquer relação entre a toma da vacina do Covid-19 e a possibilidade de apresentar um teste positivo num controlo antidopagem. O mesmo se aplica aos medicamentos usados para tratar a pandemia. Mesmo os corticoides que possam ser usados em Unidade de Cuidados Intensivos são somente proibidos em competição pelo que não necessitam de solicitar uma Autorização de Uso Terapêutico durante o tratamento na instalação hospitalar.

James Sclater abordou o decréscimo do número de testes de controlos de antidopagem realizados, bem como o plano que irá ser enviado às NADO relativo aos controlos de atletas selecionados para participar nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Informou ainda que não há intenção de reduzir o número de testes a realizar durante os Jogos e que o facto de um atleta apresentar sintomas de Covid-19 não será fator para não realizar testes de controlo antidopagem se for para isso selecionado. Por ultimo, comunicou que não será obrigatório vacinar-se para participar nos Jogos de Tóquio, devendo sair em breve um documento (Playbook) com toda a informação sobre o assunto.

Finalmente, Lenka Wech, na qualidade de médica e ex-atleta olímpica, deixou alguns conselhos aos atletas que tiveram Covid-19, nomeadamente no que se refere quer ao retorno mais lento e medicamente acompanhado aos treinos quer ao atraso no inicio das competições. Referiu ainda que estas decisões têm a ver com o grau de infeção de cada atleta (sintomático/assintomático) bem como com as consequências da doença em cada pessoa.

2021 COVID WADA

Todas as notícias