A ADoP participou num Webinar da ITA intitulado “Values, rights and responsabilities”

A ADoP esteve representada pelo Diretor Executivo, Dr. António Júlio Nunes, pela Responsável pelo Sistema de Localização, Dra. Sofia Neves e pelo Responsável pelo Programa de Educação, Dr. Carlos Santos no Webinar realizado pela International Testing Agency (ITA)

2 de junho de 2020

A ADoP esteve representada pelo Diretor Executivo, Dr. António Júlio Nunes, pela Responsável pelo Sistema de Localização, Dra. Sofia Neves e pelo Responsável pelo Programa de Educação, Dr. Carlos Santos, no Webinar realizado pela ITA, onde foram abordados vários tópicos relacionados com os valores pessoais dos atletas e os do desporto e a sua influencia direta ou indireta na tomada de decisão relativa ao doping. 

Foram preletores neste Webinar, a Presidente da Comissão de Educação da WADA, a maliana Kady Kanouté Tounkara, a Presidente da Comissão de Educação da ITA, a canadiana Olya Abasolo, e dois atletas sancionados por violação de normas antidopagem, o saltador em altura paralímpico indiano Sharad Kumar e o decatlonista dinamarquês Soren Johansson. 

Kady Tounkara realçou o facto de o novo código trazer uma obrigação acrescida às NADO’s no que respeita aos programas de educação dos intervenientes na atividade desportiva, atletas e não só. Nesse sentido, valorizou a intervenção de todos os que, de algum modo, podem ter influência sobre os jovens atletas, nomeadamente as famílias, os treinadores, as equipas médicas e os dirigentes, os quais podem exercer uma ação positiva de prevenção ou negativa de promoção do uso de substâncias ou métodos dopantes. 

Tal como não existe somente uma única forma de violação de normas antidopagem, estando previstas catorze, também não existe uma única forma de prevenir que os atletas o façam, pelo que será necessário encontrar formas variadas de abordar o processo educativo de acordo com as características de cada publico alvo. 

Olya Abasolo referiu que que a maioria dos atletas não recorre a substâncias ou métodos dopantes, no entanto alguns podem encontrar-se mais vulneráveis em certos momentos críticos da sua carreira desportiva. 

Os dois atletas foram muito claros ao referir que se tivessem tido um programa de formação / informação sobre este tema quando eram jovens poderiam ter tomado outra decisão e evitado as sanções a que foram sujeitos. 

Nesse sentido, é evidente que a realização de programas de educação com praticantes desportivos em inicio de carreira é crucial para reduzir os riscos de utilização de substâncias ou métodos dopantes.

 Educação ITA

 

 

 

 

 

 

 

Todas as notícias