A ADoP participou num Webinar da WADA intitulado “Risk Assessment and Test Distribution Plan”

A ADoP esteve representada pelo Diretor Executivo, Dr. António Júlio Nunes e pela Responsável pelo Sistema de Localização, Dra. Sofia Neves no Webinar realizado pela WADA

10 de junho de 2020

A ADoP esteve representada pelo Diretor Executivo, Dr. António Júlio Nunes e pela Responsável pelo Sistema de Localização, Dra. Sofia Neves, no Webinar realizado pela WADA, que contou com a presença da canadiana Karine Henrie da WADA e Francesca Rossi da NADO Francesa.

Foram abordados vários temas relacionados com a implementação, por parte de uma Organização Antidopagem com autorização para testar, de um programa teste inteligente, eficaz e proporcional ao risco de dopagem entre atletas, sob a sua jurisdição, de modo a detetar e impedir tais práticas e que esteja em conformidade com a norma internacional – International Standard Testing and Investigation – ISTI (artigos 4.1 – 4.2)

Assim, de modo a implementar este programa teste, as Organizações Antidopagem têm de ter presentes os seguintes fatores:

1 - O objetivo de a avaliação de riscos ser claro e abrangente;

2 - A avaliação de Risco incluir todos os 9 critérios mandatários (a norma internacional anterior contemplava 7 critérios a nova norma vai contemplar mais dois critérios, total de 9):

a)    Exigências físicas e requisitos fisiológicos;

b)   Os possíveis efeitos na melhoria do desempenho que a dopagem pode provocar no desporto/disciplina desportiva;

c)     As recompensas disponíveis nos diferentes níveis do(s) desporto(s) / disciplina(s) e / ou outros incentivos potenciais que podem levar um praticante desportivo a recorrer à dopagem;

d)    Historial em termos de violações de normas antidopagem do(s) desporto(s) / disciplina(s) desportiva(s);

e)    Pesquisa disponível sobre tendências de dopagem (por exemplo, revisão por pares, estudos e artigos);

f)      Informação recebida / inteligência desenvolvida sobre possíveis práticas de dopagem no desporto;

g)    Os resultados dos ciclos de planeamento de distribuição de teste anteriores;

h)    Altura da carreira de um atleta onde existe maior probabilidade de beneficiar com substâncias proibidas – durante a carreira ou durante o ano (numa temporada) em competições planeadas e treino.

3 - Existe um vínculo claro entre a Avaliação de Risco e o Plano de Distribuição de Teste;

4 - Grupo alvo de teste claro e proporcional;

5 - A Avaliação de Risco e o Plano de Distribuição tem de estar documentado, monitorizado, avaliado e atualizado.

A WADA implementou no ADAMS uma ferramenta “ADAMS Next Generation” de forma a ajudar as NADOS a monitorizar o seu programa teste e se o mesmo precisa de ser reajustado e atualizado.

De forma a ficarem mais claros os temas abordados no Webinar, foi dado o exemplo prático da NADO Francesa.

Webinar 10-06

 

 

 

 

 

Todas as notícias